INTRODUÇÃO

O CBC é constituído de conceitos básicos e estruturantes da Geografia, relevantes dentro da estrutura lógica dessa disciplina, imprimindo-lhe uma identidade enquanto ciência. Na proposta, denominamos Tópicos a esses conceitos básicos e estruturantes que inclusive permitem a compreensão de outros conceitos dentro da rede conceitual da Geografia.

Os Tópicos estão estruturados segundo os pressupostos e critérios apresentados na proposta para a seleção dos conteúdos e guardam relação com os PCNs de 5ª a 8ª Série e o PCN +. Dessa forma, os Tópicos estão organizados em Eixos Temáticos que se desdobram em Temas e devem ser compreendidos pelos alunos na operacionalização das Habilidades.

Os Tópicos são flexíveis e devem ser ordenados pelos professores, de acordo com as necessidades básicas de aprendizagem dos alunos e a identidade e as inovações da escola, (construída no Plano de Desenvolvimento Profissional de Educadores – PDPI), e ajustados ao tempo de formação, de acordo com a carga horária da disciplina.

Para as quatro últimas séries do Ensino Fundamental, selecionamos quatro Eixos Temáticos que representam o movimento da sociedade na sua relação com a natureza, em diferentes escalas geográficas e temporalidades, tecidas na Geografia do presente, que é plural nas abordagens do espaço geográfico.

Assim, os Tópicos e Habilidades selecionadas expressam a espacialidade complexa dos lugares, regiões, territórios, paisagens, quando problematizam as contradições do capital (crítica), da sociedade com a natureza (socioambiental) da sociodiversidade (cultural). Nessa perspectiva, os alunos devem desvendar o que o professor Milton Santos considera “uma consciência de época em que vivemos”: as relações culturais, patrimoniais e ambientais, transversalizando e complexificando os Tópicos.

 
 



Assim, os conteúdos geográficos selecionados possibilitam novas mentalidades e atitudes comprometidas com a sustentabilidade ambiental, política, econômica, cultural e social. Esta é a Geografia do presente que deve ser resgatada como saberes culturais, diferenciando-se assim da geografia escolar definida pela tradição.

Dos quarenta Tópicos, selecionamos vinte que expressam de forma mais contextualizada a pluralidade da ciência geográfica na atualidade, permitindo compreender o espaço geográfico com vistas à formação de uma ecocidadania. Os demais permanecem como Temas Complementares, embora existam múltiplas relações conceituais com CBC, podendo ser incorporados na organização de um projeto. Fica a critério dos professores e alunos a sua seleção e planejamento no projeto institucional da escola.

 
 



O Eixo Temático I – Geografias do Cotidiano – recupera a cotidianidade do lugar representado pela cidade e o campo onde ocorrem as relações de trabalho, de cultura e de lazer. Os Tópicos selecionados – território e territorialidade; paisagens do cotidiano; cidadania e direitos sociais; lazer; segregação espacial; redes e circulação – garantem a leitura da paisagem, a compreensão das complexas relações de poder e de segregação, a luta e a conquista de direitos no território, além de possibilitar o entendimento do movimento de pessoas, mercadorias e idéias na complexa e contraditória rede da globalização e fragmentação. A singularidade dos Tópicos reflete a importância da escala local na sua relação com a regional e global, bem como a luta por espaços mais justos e de todos.

No Eixo Temático II – A Sociodiversidade das Paisagens e suas Manifestações Espaço-Culturais –, os Tópicos selecionados – turismo; cultura e natureza; populações tradicionais; região cultural – traduzem a abordagem cultural que resgata a sociodiversidade das paisagens e regiões tecidas na relação com a biodiversidade, permitindo uma releitura socioambiental das relações entre sociedade e natureza. Novos sujeitos revigoram as regiões culturais, imprimindo na natureza suas especificidades e fenômenos.

No Eixo Temático III – Globalização e Regionalização no Mundo Contemporâneo –, os Tópicos selecionados – regionalização e mercados; nova ordem mundial; revolução técnico-científica; redes técnicas das telecomunicações; fragmentação – contemplam o redesenho da espacialidade complexa mundial, configurada na fragmentação de povos, de regiões e dos lugares, em detrimento de uma tendência homogeneizadora do capital via mercado. Eles demandam habilidades problematizadoras, numa perspectiva crítica, realçando o enfoque dos conflitos gerados pelas contradições socioespaciais.

No Eixo Temático IV – Meio Ambiente e Cidadania Planetária – priorizamos os Tópicos – desenvolvimento sustentável; indústria e meio ambiente; cidades sustentáveis; Agenda 21; padrão de produção e consumo – que alinhavam as relações sociedade e natureza nas suas discussões mais contemporâneas de sustentabilidade. Eles indicam percursos dentro de uma nova lógica de cooperação e solidariedade, garantidos por uma legislação ambiental e uma nova ética fundada na responsabilidade socioambiental.

O desenvolvimento dos Tópicos está atrelado às Habilidades que mobilizam ações amplas, múltiplas e de caráter dinâmico que são as competências, contribuindo para que os alunos desenvolvam a capacidade de aplicar e transferir conhecimentos sistematizados. Elas constituem-se num conjunto de ações ordenadas por meio da linguagem e sua representação/comunicação, a resolução de problemas, a investigação e contextualização, que são os procedimentos fundamentais na construção do conhecimento.

Ao selecionar os Tópicos do CBC priorizamos as Habilidades básicas que podem contribuir na construção de um conhecimento mais formador e empreendedor, compatível com a faixa etária a que destina. No recorte e remanejamento de Habilidades consideramos o tempo para o desenvolvimento, o diagnóstico a ser realizado com o aluno, a pesquisa, a interpretação e a representação do espaço, o tratamento da informação e sua sistematização, o que justificam a manutenção, seleção e/ou remanejamento de alguns tópicos e habilidades.

 

Página anterior Sentido de ensinar geografia