Centro de referência Virtual do Professor - http://crv.educacao.mg.gov.br

 

Proposta Curricular - CBC

L�ngua Portuguesa - Fundamental - 6� a 9�

CRIADO EM: 02/09/2008
MODIFICADO EM: 02/09/2008
Conteúdo Básico Comum (CBC) de Português do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano
• Nas páginas a seguir, os tópicos de conteúdo e suas respectivas habilidades aparecem em negrito; os subtópicos e o detalhamento das habilidades, sem negrito.

EixoTemático II

Competências:

Compreender a língua como fenômeno cultural, histórico, social, variável, heterogêneo e sensível aos contextos de uso.
Reconhecer a língua como instrumento de construção da identidade de seus usuários e da comunidade a que pertencem.
Compreender a escrita como simbolização da fala.
Compreender a necessidade da existência de convenções na língua escrita.
Valorizar a escrita como um bem cultural de transformação da sociedade.
Usar variedades do português, produtiva e autonomamente.
Posicionar-se criticamente contra preconceitos lingüísticos.
Mostrar uma atitude crítica e ética no que diz respeito ao uso da língua como instrumento de comunicação social.

Linguagem e Língua

TÓPICOS E SUBTÓPICOS DE CONTEÚDO HABILIDADES E DETALHAMENTO DAS HABILIDADES Anos / C. Horária Anual
19. A linguagem verbal: modalidades, variedades, registros
• Modalidades lingüísticas:
- o contínuo oral–escrito;
- condições de produção, usos, funções sociais e estratégias de textualização da fala e da escrita;
- convenções da língua escrita: grafia de palavras (ortografia, acentuação gráfica, notações gráficas); parágrafo gráfico; pontuação;
- diferenças entre o sistema fonológico e o sistema ortográfico.
Variação lingüística e estilística:
• fatores históricos (o passado e o presente), geográficos (o contínuo rural—urbano), sociológicos (gênero, geração, classe social) e técnicos (diferentes domínios da ciência e da tecnologia);
• manifestações fonéticas, lexicais, morfológicas e sintáticas;
• o contínuo da monitoração estilística: registros menos ou mais monitorados.
• Prestígio e preconceito lingüístico
19.0. Compreender a língua como fenômeno histórico, cultural, social, variável, heterogêneo e sensível aos contextos de uso.
19.1. Reconhecer semelhanças e diferenças entre a fala e a escrita quanto a condições de produção, usos, funções sociais e estratégias de textualização. 4 2 1 1
19.2. Reconhecer funções da fala e da escrita em diferentes suportes e gêneros. 1 2 1 1
19.3. Usar as convenções da língua escrita produtiva e autonomamente, entendendo as diferenças entre o sistema fonológico e o sistema ortográfico. 5 3 1 1
19.4. Identificar fatores relacionados às variedades lingüísticas e estilísticas de textos apresentados. 1 1 1 1
19.5. Avaliar o uso de variedades lingüísticas e estilísticas em um texto, considerando a situação comunicativa e o gênero textual. 1 1 1 1
19.6. Adequar a variedade lingüística e/ou estilística de um texto à situação comunicativa e ao gênero do texto. 1 1 1 1
19.7. Mostrar uma atitude crítica e não preconceituosa em relação ao uso de variedades lingüísticas e estilísticas. 1 1 1 1
19.8. Reconhecer a manifestação de preconceitos lingüísticos como estratégia de discriminação e dominação. 1 1 1 1
20. Neologia de palavras
• Neologia semântica: a criação de novos sentidos para palavras, expressões e frases, e seus efeitos de sentido.
• Neologia lexical: os processos mais produtivos no português brasileiro atual e seus efeitos de sentido.
• Neologia por empréstimo: os estrangeirismos e seus efeitos de sentido.
• Derivação: diferenças entre o português padrão (PP) e não padrão (PNP).
20.0. Reconhecer a neologia semântica, a lexical e o empréstimo como processos de criação lingüística.
20.1. Identificar a origem de neologismos em circulação no português brasileiro. 1 1 1
20.2. Identificar o processo de formação de neologismos em circulação no português brasileiro. 2 1 1
20.3. Interpretar neologismos em diferentes situações de interlocução. 1 1 1
21. Uso de pronomes pessoais no português padrão (PP) e não padrão (PNP)
• Sistemas pronominais do PP e do PNP: diferenças quanto
- ao preenchimento da posição de sujeito;
- à extensão do emprego de pronomes pessoais tônicos como objeto;
- ao desaparecimento de clíticos junto ao verbo;
- ao emprego de pronomes reflexivos;
- ao emprego de dêiticos e anafóricos.
21.0. Reconhecer e usar o pronome pessoal, produtiva e autonomamente.
21.1. Reconhecer diferenças de uso do pronome pessoal entre o português padrão (PP) e o português não padrão (PNP). 2 1 1
21.2. Avaliar a adequação do uso padrão ou não padrão do pronome pessoal em um texto ou seqüência textual, considerando a situação comunicativa e o gênero do texto. 1 1
21.3. Corrigir um texto ou seqüência textual, considerando a necessidade de uso da norma padrão de emprego do pronome pessoal. 1 1
21.4. Usar a norma padrão do pronome pessoal em situações comunicativas e gêneros textuais que a exijam. 1 1
22. Flexão verbal no português padrão (PP) e não padrão (PNP)
• Sistemas de fl exão verbal no PP e no PNP:
- manutenção / redução do paradigma das pessoas verbais;
- [- ou +] emprego de formas verbais compostas no futuro e no pretérito mais-que-perfeito;
- [- ou +] uso do pretérito imperfeito pelo futuro do pretérito (condicional);
- [- ou +] predominância do modo indicativo.
• Concordância verbal no PP e no PNP:
- concordância verbal e coesão;
- casos gerais de concordância verbal.
22.0. Reconhecer e usar mecanismos de flexão verbal, produtiva e autonomamente.
22.1. Reconhecer diferenças de flexão verbal entre o português padrão (PP) e o português não padrão (PNP). 1 1
22.2. Avaliar adequação da flexão verbal padrão ou não padrão em um texto ou seqüência textual, considerando a situação comunicativa e o gênero do texto. 1 1
22.3. Corrigir um texto ou seqüência textual, considerando a necessidade de uso da norma padrão de flexão verbal. 1 1
22.4. Usar a norma padrão de flexão verbal em situações comunicativas e gêneros textuais que a exijam. 1 1
23. Flexão nominal no português padrão (PP) e não padrão (PNP)
• Sistemas de flexão verbal no PP e no PNP: diferenças de
- gênero e número do substantivo;
- gênero e número do adjetivo, quantificadores e determinantes variáveis do substantivo.
• Concordância nominal no PP e no PNP:
- concordância nominal e coesão;
- casos gerais de concordância nominal.
23.0. Reconhecer e usar mecanismos de flexão nominal, produtiva e autonomamente.
23.1. Reconhecer diferenças de flexão nominal entre o português padrão (PP) e o português não padrão (PNP). 2 1 1 1
23.2. Avaliar adequação da flexão nominal padrão ou não padrão em um texto ou seqüência textual, considerando a situação comunicativa e o gênero do texto. 1 1 1 1
23.3. Corrigir um texto ou seqüência textual, considerando a necessidade de uso da norma padrão de fl exão nominal. 1 1 1 1
23.4. Usar a norma padrão de flexão nominal em situações comunicativas e gêneros textuais que a exijam. 2 1 1 1
24. A frase na norma padrão
• Frase: estruturação, delimitação e articulação
• Frase oracional e frase não oracional
• Marcas do relacionamento das palavras na frase:
- sinais de pontuação;
- ordem de colocação;
- concordância;
- articuladores ( preposições e conjunções);
- natureza dos sintagmas;
- operadores argumentativos;
- entoação / pontuação.
• A frase e seus sintagmas:
- sintagma nominal, sintagma adjetivo, sintagma adverbial;
- ordem canônica e não canônica dos sintagmas na frase e seus efeitos de sentido.
24.0. Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, a frase padrão em contextos que a exijam.
24.1. Reconhecer, em um texto ou seqüência textual, os diferentes tipos de frases: não oracional, oracional simples (período simples), oracional complexa (período composto). 2 1
24.2. Reconhecer marcas do relacionamento entre as palavras de uma frase. 1 1
24.3. Manipular marcas do relacionamento entre as palavras de uma frase, de forma a produzir diferentes efeitos de sentido. 1 1 1 1
24.4. Relacionar mudanças de sentido, focalização e intencionalidade a mudanças formais operadas em uma frase: alterações de sinais de pontuação, ordem de colocação, concordância, transformação de sintagmas, substituição ou eliminação de articuladores e operadores argumentativos. 2 2 1
24.5. Reconhecer sintagmas substantivos, adjetivos e adverbiais em uma frase. 1 1 1 1
24.6. Identificar o núcleo ou os núcleos de sintagmas nominais, adjetivos e adverbiais apresentados em frases ou seqüências textuais. 1 1 1 1
24.7. Reconhecer, os processos sintáticos de organização e hierarquização dos sintagmas (coordenação e/ou subordinação), em frases apresentadas. 2 2 1 1
24.8. Interpretar, em frases apresentadas, o valor semântico e/ou argumentativo de sintagmas nominais, adjetivos e adverbiais. 1 1
24.9. Interpretar, em frases apresentadas, o valor semântico e/ou argumentativo de sintagmas adverbiais que funcionam como modalizadores do discurso. 1 1
24.10. Interpretar, em frases apresentadas, o valor semântico de constituintes de sintagmas nominais, adjetivos e adverbiais. 1 1
24.11. Reconhecer a necessidade de se preposicionar ou não, em uma frase, um determinado sintagma. 1 1
24.12. Reconhecer diferenças sintáticas de estruturação de frases entre o português padrão e o português não padrão. 1
24.13. Avaliar a adequação de uma estrutura frasal padrão ou não padrão a um texto ou seqüência textual, considerando a situação comunicativa e o gênero do texto. 1
24.14. Produzir frases com estrutura adequada à situação comunicativa e ao gênero textual. 1
25. A frase na norma padrão: período simples
• Os sintagmas nominal, adjetivo e adverbial na estrutura oracional.
• O verbo e seus argumentos.
• Pontuação: segmentação e articulação de sintagmas.
25.0. Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, o período simples padrão em contextos que o exijam.
25.1. Reconhecer sintagmas que funcionem como constituintes imediatos de um período simples. 1 1
25.2. Reconhecer, em um período simples ou oração, sintagmas que funcionem como constituintes de outros sintagmas. 1 1
25.3. Distinguir os argumentos semânticos de verbos (sujeito, objeto direto, objeto indireto, agente da passiva, adjunto adverbial) em frases apresentadas. 1 1
25.4. Explicar as relações entre o significado de um verbo e a ausência, presença e forma de apresentação de seus argumentos semânticos. 1 1
25.5. Relacionar vozes verbais, formas de apresentação dos argumentos semânticos de um verbo e efeitos de sentido. 1 1
25.6. Distinguir os usos padrão e não padrão de vozes verbais e seus efeitos de sentido, em uma frase ou seqüência textual apresentada. 1 1
25.7. Distinguir os usos padrão e não padrão de verbos denominados impessoais, em uma frase ou seqüência textual apresentada. 1 1
25.8. Distinguir efeitos de sentido de adjuntos e predicativos, em frase ou seqüência textual apresentada. 1 1
25.9. Distinguir efeitos de sentido de complementos e adjuntos em uma frase ou seqüência textual apresentada. 1 1
25.10. Reconhecer valores semânticos e argumentativos do aposto, em uma frase ou seqüência textual apresentada. 1 1
25.11. Reconhecer o efeito de sentido de sintagmas adverbiais modalizadores, em uma frase ou seqüência textual apresentada. 1 1
25.12. Avaliar a adequação de uso de um período simples em um texto ou seqüência textual, considerando a progressão textual, a situação comunicativa e o gênero do texto. 1 1
25.13. Avaliar a correção de um período simples usado em um texto ou seqüência textual, considerando a norma padrão. 1 1
25.14. Corrigir problemas de estruturação de períodos simples, considerando a norma padrão. 1 1
25.15. Produzir períodos simples estruturalmente adequados à situação comunicativa, à seqüência e ao gênero textual. 1 1
26. A frase na norma padrão: o período composto
• Conexão sintática (coordenação e/ ou subordinação), semântica (relações lógicas) e discursiva (instruções de progressão temática).
• O período composto e suas orações.
• Orações coordenadas:
- tipologia;
- relações lógicas e discursivas;
- pontuação.
• Orações subordinadas:
- tipologia;
- relações temporais, lógicas e discursivas;
- pontuação.
26.0. Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, o período composto padrão em contextos que o exijam.
26.1. Reconhecer e usar a oração não subordinada como unidade fundamental da frase oracional padrão simples ou complexa. 1
26.2. Reconhecer o papel sintático, semântico e discursivo de articuladores de orações em um período composto. 2
26.3. Reconhecer relações de adição, oposição adversativa, alternância, explicação e conclusão entre orações coordenadas de um período composto. 2
26.4. Identificar efeitos de sentido do uso de orações coordenadas aditivas, adversativas, alternativas, explicativas e conclusivas em um período composto. 2
26.5. Reconhecer relações de causa, conseqüência, concessão, condição, finalidade, tempo, comparação, proporção, conformidade, modo e lugar entre orações subordinadas e principais de um período composto. 2
26.6. Identificar efeitos de sentido do uso de orações causais, consecutivas, concessivas, condicionais, fi nais, temporais, comparativas, proporcionais, conformativas, modais e locativas em um período composto. 1
26.7. Reconhecer relações de restrição e explicação entre orações adjetivas e principais de um período composto. 1
26.8. Identificar efeitos de sentido do uso de orações adjetivas restritivas e explicativas em um período composto. 1
26.9. Reconhecer, em um período composto, a função modalizadora, focalizadora ou enunciativa de uma oração principal em relação a uma subordinada substantiva. 1
26.10. Identificar efeitos de sentido do uso de orações principais acompanhadas de substantivas em um período composto. 1
26.11. Estabelecer, entre orações de um período composto, relações sintáticas, semânticas e discursivas adequadas ao efeito de sentido pretendido. 1
26.12. Manter ou alterar o sentido e/ou o efeito argumentativo de um período composto, incluindo, substituindo, omitindo ou deslocando articuladores, orações e sinais de pontuação. 2
26.13. Reestruturar informações simples ou complexas em períodos compostos, estabelecendo relações sintáticas, semânticas e discursivas adequadas aos efeitos de sentido pretendidos. 2
26.14. Pontuar, produtiva e autonomamente, orações de um período composto. 2
26.15. Corrigir impropriedades de estruturação sintática, semântica e discursiva em um período composto. 1
26.16. Reconhecer diferenças sintáticas de estruturação de frases entre o português padrão e o português não padrão. 1
26-17. Avaliar a adequação de uma estrutura frasal padrão ou não padrão a um texto ou seqüência textual, considerando a situação comunicativa e o gênero do texto. 1
26.18. Produzir períodos compostos estruturalmente adequados à situação comunicativa, à seqüência e ao gênero textual. 1