• Você está em: HOME   Módulos Didáticos  Fundamental  Ciências  

Centro de referência Virtual do Professor - http://crv.educacao.mg.gov.br

 

M�dulos Did�ticos

Ci�ncias - Ensino Fundamental

CRIADO EM: 23/07/2009
MODIFICADO EM: 23/07/2009
MÓDULO DIDÁTICO DE cIÊNCIAS

 


Baixe o módulo original em PDF

AÇÃO DE MICRO-ORGANISMOS NA CICLAGEM DE MATERIAIS
(Continuação)

Autoras:

Junia Freguglia
Marina Fonseca

 

Os materiais são decompostos na natureza

Cada objeto é formado por um ou mais tipos de materiais. Como os materiais presentes no lixo são diferentes! Cada um tem uma composição e uma forma de se comportar. Inteiro, rasgado, amassado, duro, flexível, grande, pequeno, os materiais sofrem decomposição e, por isso, deixam de existir como os objetos que conhecemos.

Porém, após a decomposição, as partículas permanecem no ambiente, podendo contaminá-lo, ou servirem para formar novos materiais. Isso é o que chamamos de ciclo dos materiais.

Como acabamos de ver, os materiais sofrem decomposição e retornam para o ambiente. Mas, afinal, o que é decomposição?

Na natureza, a decomposição é a divisão de um material em partes cada vez menores até chegar ao ponto em que suas partículas não são mais visíveis, podendo ser aproveitadas para formar novos materiais.

A decomposição é um processo que depende da ação de fatores do ambiente como temperatura e umidade e da ação de organismos vivos.

Projeto 1 – Para onde vai o lixo da minha cidade?

Essa é uma tarefa para toda a turma. Vamos pesquisar sobre a coleta de lixo na comunidade e na cidade. Para isso, vamos dividir a turma em três grupos:

Tarefa para o 1º grupo: O grupo 1 deverá realizar uma pesquisa para obter as seguintes informações:

a)     Há coleta de lixo na comunidade? Em toda a cidade? Como é feita (tipo de transporte, dias e horários da coleta)?

b)     Há coleta seletiva do lixo?

c)     Qual é o destino final do lixo da cidade? Onde fica? Como funciona?

O grupo 1 deverá apresentar as informações coletadas para a turma.

Tarefa para o 2º grupo: De posse das informações coletadas pelo grupo 1, o grupo 2 deverá elaborar o projeto (desenho) de uma maquete que represente a comunidade ou a cidade. O grupo também deverá sugerir materiais a serem utilizados na construção da maquete. Lembrem-se da importância da reutilização dos materiais. Nessa maquete deverá ser possível visualizar a forma de coleta e o destino final do lixo.

O grupo 2 deverá apresentar o projeto para a turma.

Tarefa para 3º grupo: De posse do projeto, o grupo 3 deverá “executar a obra”. Aceitando ou não as sugestões de materiais a serem utilizados, o grupo deverá construir a maquete e apresentá-la à turma.

IV.        O lixo se decompõe

O que faz uma fruta apodrecer? O que faz uma comida azedar? O que faz um pedaço de madeira desmanchar?

Para todas essas perguntas, temos uma resposta: O apodrecimento assim como os outros “problemas” que encontramos no nosso dia a dia, na verdade são problemas para nós, mas uma solução para a natureza. Graças a esses processos, os materiais retornam ao meio ambiente e não se acumulam.

Em condições adequadas de temperatura e umidade, alguns seres vivos como fungos e bactérias utilizam esses materiais como fonte de energia. Ao se alimentarem, eliminam substâncias que fazem apodrecer, azedar ou desmanchar. Tudo isso está relacionado com a decomposição dos materiais.

Vejamos os exemplos de decomposição de materiais diferentes. Vamos acompanhar a produção de objetos feitos de plástico, metal, vidro e papel que são os principais componentes do lixo. Também vamos acompanhar a origem e a decomposição de uma fruta que representa a matéria orgânica que é encontrada em maior percentagem no lixo.

De onde vem?

Plástico

Plásticos são materiais formados pela união de cadeias moleculares chamadas polímeros.

Toda a matéria é constituída por pequenas unidades a que chamamos moléculas. Os POLÍMEROS são grandes moléculas.

Apesar dos polímeros serem grandes, ainda são pequenos demais para poderem ser vistos, mesmo com um microscópio, porque as moléculas são as menores porções de matéria.

Os polímeros podem ser naturais ou sintéticos. A matéria-prima desses polímeros geralmente é o petróleo. Este é formado por uma complexa mistura de compostos que podem ser separados nas indústrias. Uma parte desses compostos dá origem aos polímeros que são utilzados na fabricação de plásticos sintéticos.


De todo o petróleo consumido no Brasil, apenas 1% é utilizado para ser transformado em resina plástica (é isso aí: o plástico vem do petróleo!). Essa resina pode sofrer modificações em sua composição química e formar vários tipos de plástico. É por isso que a "consistência" do brinquedo é diferente de um saquinho de leite.

Metal

Os metais são extraídos das rochas na forma de minérios. Veja as informações sobre a origem e o destino dos metais que estão presentes nessa cartilha:




Vidro

A sílica é a matéria prima essencial para a fabricação do vidro. Ela apresenta-se sob a forma de areia; de pedra cinzenta; e encontra-se no leito dos rios e das pedreiras.

Outras substâncias também retiradas de rochas são utilizadas na fabricação do vidro. Portanto, assim como plástico, o vidro é feito de material inorgânico e não será utilizado pelos organismos decompositores.

Papel

Você viu até agora os materiais inorgânicos: plástico, metal e vidro. Vamos verificar, então, que o papel e os alimentos originam-se de plantas e de animais e, por isso, são materiais orgânicos.


Alimentos

Os alimentos geralmente têm origem animal ou vegetal, portanto, são feitos de matéria orgânica. Dessa forma, servem também de alimento para os seres vivos que participam do processo de decomposição. A matéria a seguir mostra a ação de microrganismos decompositores no nosso dia a dia.

Com o prazo de validade vencido
Entenda como fungos e bactérias estragam alimentos e podem provocar infecções!


Esse anúncio, obviamente, é de mentirinha! Fungos e bactérias, ora essa, ainda não foram alfabetizados nem conferem os classificados! Mas, sim, são eles que estragam o leite que você não tomou inteiro de manhã e deixou sobre a mesa!


Não é por maldade que fungos e bactérias estragam o que nós pretendíamos comer, mas por uma questão de sobrevivência! Para se reproduzir, eles precisam de água e de alimentos dos quais possam retirar proteínas, gorduras e carboidratos. Num copo de leite ou numa fruta, por exemplo, eles têm tudo isso à disposição. Então, se multiplicam depressa e de várias formas.


O problema é que fungos e bactérias não só se reproduzem nos alimentos, como também fabricam substâncias que se desprendem deles. Muitas delas exalam forte cheiro e são prejudiciais à nossa saúde! Veja o caso do peixe estragado: ele exala forte odor e, se alguém almoçá-lo, pronto: pode ter diarréia, vômitos e náuseas. Tudo porque, como o mau cheiro indica, o peixe sofreu ação de bactérias, que produziram toxinas.


Intoxicação alimentar é o que também pode afetar quem ingerir o conteúdo de uma lata de conserva estufada. Então, atenção: se a embalagem estufou, é porque houve produção de gases. E, se houve produção de gases, é porque o alimento que estava dentro da lata deve ter sofrido ação de bactérias ou fungos e... estragou!


Embora micro-organismos como fungos e bactérias estejam no ar, na água, na terra e tenham papel importante na decomposição dos alimentos, é possível conservar o que iremos comer. Basta preparar os alimentos com as técnicas certas! Há as que dificultam o contato de micro-organismos -- como fungos e bactérias -- com a comida, outras que criam um meio desfavorável à reprodução e ao desenvolvimento desses seres e algumas que os reduzem ou os eliminam por completo.


Ciência Hoje das Crianças
134, abril 2003

Maria Emília Caixeta Castro Lima, Selma Moura Braga,

Orlando Aguiar Jr.


Projeto 2 – O que acontece com o que eu jogo fora?

Objetivo: O que vamos fazer?

Identificar a diferença entre lixo seco e lixo orgânico: tempo de decomposição e outras características como aspecto visual, cheiros e presença de seres vivos.

Material e Procedimentos: Como vamos fazer?

Utilize dois vasos com terra úmida (coletar preferencialmente de algum jardim. Se houver plantas que são adubadas é melhor; evite utilizar areia).

Em um vaso você deverá colocar alimentos e restos (cascas da fruta, pedaços de biscoito etc.) enterrados, e em outro, as embalagens desses alimentos, por exemplo: plásticos, folhas de alumínio, papéis etc.

Deixe os vasos intactos durante pelo menos 4 semanas.

Resultados: O que conseguimos observar?

O que será que acontece com cada vaso depois de um tempo?

Os dois vasos devem ter a terra revirada, e os conteúdos enterrados devem ser recuperados. Dependendo do tipo de lixo, pode ser necessário usar luvas de borracha.


Anote o que observou comparando entre os vasos as seguintes características:

• Quais as características de cheiro, cor e aspecto da terra?

• Existe uma incidência maior de insetos (tanto alados quanto terrestres) e outros organismos macroscópicos em algum dos vasos?

• Houve crescimento de alguma planta?

Discussão dos resultados e conclusões:

• Quais as principais diferenças que vocês anotaram entre os conteúdos dos dois vasos?

• Qual dos dois vasos possui terra que funcionaria como melhor adubo? Por quê?

• Os conteúdos do lixo seco estão diferentes agora, em comparação a quando foram colocados? Quanto tempo vai demorar para que esse material fique tão decomposto quanto o material no outro vaso?

• Algum dos alimentos se decompôs mais do que outros? Qual a explicação para isso?

• A decomposição é a responsável pelo apodrecimento dos alimentos, pode trazer mau cheiro, e atrai seres vivos que podem causar doenças. Então, a decomposição é uma coisa ruim?

• Quem vocês acham que são os responsáveis por essa decomposição? Quem são, de onde vêm e do que se alimentam esses seres?

Divulguem os resultados da pesquisa e as informações coletadas em um painel sobre “Lixo seco e lixo orgânico”.

Tempo de decomposição dos materiais

Há muita variação da informação sobre o tempo de decomposição dos materiais. Isso se deve ao fato de que o tempo de decomposição deverá variar de acordo com as condições do solo ou do ambiente em que os materiais foram descartados.

Atividade 3 - Elaborando uma hipótese

No item anterior nós aprendemos que os materiais são diferentes e que o tempo para cada material se decompor é diferente.

Observem novamente a figura 7 que mostra o tempo de decomposição de cada material. Verifique a diferença no tempo de decomposição entre os materiais listados à equerda e à direita da figura.

Em duplas, elaborem uma hipótese para explicar: Por que os materiais listados à esquerda da figura têm o tempo de decomposição tão inferior aos materiais listados à direita?



Quem faz a decomposição

Acabamos de aprender sobre a origem dos materiais. Vimos que a matéria-prima para a fabricação de produtos que utilizamos no nosso dia a dia pode ser de origem orgânica ou inorgânica.

Os materiais de origem inorgânica permanecerão no ambiente por mais tempo. Isso ocorre porque eles não servem de alimento para os seres vivos.

Queremos dizer, então, que os seres vivos participam ativamente do processo de decomposição da matéria orgânica. Quem são esses seres responsáveis pela reciclagem natural dos materiais?

Em um ambiente natural, cada folha, ramo, animal morto ou dejeto que cai na terra acaba desaparecendo depois de algum tempo. São destruídos por larvas de insetos, minhocas, bactérias e fungos, entre outros. Os nutrientes que havia em cada folha, ramo, animal morto ou dejeto voltam ao ambiente. Esses seres vivos também fazem parte da cadeia alimentar.

Folhas mortas, por exemplo, são atacadas em primeiro lugar por animais invertebrados como ácaros, tatuzinhos-de-jardim, minhocas e piolhos-de-cobra. Eles transportam os detritos para os espaços onde vivem, debaixo do chão. Esses animais são denominados detritívoros, porque se alimentam de detritos.



Também os animais necrófagos, igualmente conhecidos como comedores de carniça, desempenham um importante papel na decomposição da matéria orgânica. São eles que iniciam a retirada dos cadáveres de cena. Alimentam-se de restos de caça ou de animais mortos naturalmente, antes que comece a ação dos decompositores.

As hienas são capazes de comer ossos, fezes e pele. Também os urubus fazem parte desse grupo, alimentando-se de animais já mortos.


Além desses animais vertebrados, outros animais invertebrados fazem parte do grupo dos necrófagos. São exemplos algumas espécies de aranhas, caramujos, besouros e moscas.

Depois, é a vez das bactérias e dos fungos, que são os decompositores propriamente ditos. Ao utilizarem os restos de animais e plantas como fonte de energia, eles separam a matéria orgânica em partículas menores capazes de serem absorvidas pelas plantas. Aí se inicia um novo ciclo.

Então, aí está a importância desses seres vivos, os decompositores. Eles renovam os recursos naturais. A formação da matéria-prima orgânica depende da ação de fungos e bactérias. Sem eles o acúmulo de restos de matéria orgânica já teria tomado conta do nosso planeta. Também, a escassez de sais minerais já teria impedido muitas plantas de nascer, crescer e produzir.


        V.       
Lixo: o que fazer?

Estamos tratando o lixo como um problema. Assim, se o lixo é problema, deve haver solução.

Os passos que levam a solução parcial do problema do lixo são:

Acondicionamento correto do resíduo sólido (lixo); transporte do resíduo sólido (lixo); coleta seletiva; reciclagem; armazenamento do resíduo final.

Mas essas seriam soluções para o lixo já produzido. Se nós consideramos o acúmulo do lixo o problema inicial, então, o que fazer para o lixo não acumular?

A reciclagem pode ser uma saída, mas enfrenta grandes problemas para sua implantação, pois o custo é muito alto. A reciclagem exige também a educação das pessoas para separar corretamente o lixo produzido nas casas, nas fábricas e nos estabelecimentos comerciais.

Campanhas que orientam a comunidade, debates nas escolas, fiscalização dos lixões, construções de aterros sanitários, implantação da coleta seletiva, são algumas das primeiras atitudes que deveriam ser tomadas pelas autoridades, além do incentivo aos grupos ambientais locais que poderiam ajudar na tarefa de fiscalização e divulgação para a sociedade das campanhas desenvolvidas.

Mas o que cada pessoa pode fazer?



Atividade 4 –
Uma questão de atitude

Com essa atividade nós vamos:

• Conhecer medidas pessoais para a redução da produção de lixo.

• Aplicar as medidas possíveis em sua residência.

• Acompanhar os avanços conseguidos individualmente.

• Contabilizar os avanços conseguidos pelo grupo.
 

A)    Construa uma tabela (conforme modelo abaixo) com várias dicas de ações para promover a redução do lixo. Depois de um mês, nessa tabela, você deverá marcar quais as ações que conseguiu realizar, as que já haviam sido realizadas e as que não foram possíveis de realizar.

Várias dicas também que podem ser inseridas nessa tabela são apresentadas a seguir:

• comprar bebidas em garrafas retornáveis; • comprar produtos com menos embalagens; • levar sacolas para as compras, evitando sacos plásticos; • evitar embalagens desnecessárias; • substituir produtos descartáveis por duráveis (ex.: aparelhos de barbear, guardanapos de papel, toalhas de papel etc.); • guardar objetos que possam ter outra utilidade (papel de presente, objetos usados etc.); •separar o lixo para a reciclagem; • fazer compostagem; • evitar papel desnecessário (jornais e revistas que não lê); • utilizar papel reciclado (e reaproveitar papéis com um lado em branco para rascunho); • reaproveitar roupas, materiais escolares etc.

 

B)    Observe se a quantidade de lixo produzida em sua casa diminuiu após um mês de aplicação das medidas de redução. O(a) professor(a) deverá promover um debate com os alunos para avaliar o desenvolvimento das ações.


Reduzir, Reutilizar, Reciclar

O primeiro passo para diminuir a quantidade de lixo é sem dúvida reduzir o que consumimos. Consumir não é necessariamente adquirir alimentos, e sim produtos para qualquer finalidade. Muitas vezes compramos coisas das quais não precisamos, e ficamos dias, meses e anos acumulando coisas.

Após pensarmos em reduzir o que consumimos podemos agora procurar reutilizar as coisas antes de jogá-las fora. Há muitas maneiras de reaproveitar objetos e até alimentos. Imagine se conseguirmos usar pelo menos mais uma vez as coisas que consumimos, o quanto estaríamos diminuindo o lixo de casa!

Após evitar consumir coisas desnecessárias, reaproveitar outras, agora é hora de pensar em reciclar. Muitos materiais podem ser reciclados e cada um por uma técnica diferente. A reciclagem permite uma diminuição da exploração dos recursos naturais.

Acabamos de apresentar a regra dos 3Rs: Reduzir, Reutilizar e Reciclar.


Atividade 5 –
O lixo que não é lixo

Essa atividade deverá ser feita em grupos. Cada grupo ficará responsável por um dos materiais presentes no lixo: Papel, Plástico, Metal, Vidro e Orgânicos. Cada grupo terá as seguintes tarefas:

A)     Pesquisar em jornais, revistas e material digital sobre como reduzir o consumo, reaproveitar e reciclar o material escolhido. Preferencialmente, através de reportagens com exemplos positivos.

B)     Apresentar as informações coletadas para a turma em forma de cartazes, vídeos, lâminas para projeção.

C)    Confeccionar novos objetos a partir de objetos já utilizados. Todos os objetos confeccionados pela turma serão expostos na feira “O lixo que não é lixo”.


Bibliografia

Bertoldi e Vasconcellos..... (completar)

Sites consultados

http://www.ib.usp.br/coletaseletiva

www.revistameioambiente.com.br (revista nº 1)

http://www.ufmg.br/proex/geresol

http://cienciahoje.uol.com.br/

http://ambiente.hsw.uol.com.br/

http://pt.wikipedia.org

www.lixo.com.br

www.cienciaviva.pt

www.infoescola.com

http://portaldoprofessor.mec.gov.br/

Sites indicados

http://www.recicloteca.org.br

www.lixo.com.br

http://www.natureba.com.br

http://www.discoverybrasil.com  (video de 30 segundos sobre as conseqüências do despejo do lixo em local inadequado)

http://www.cienciamao.if.usp.br

http://www.portacurtas.com.br/  (filme Ilha das Flores)

http://planetasustentavel.abril.com.br

http://planetasustentavel.abril.com.br

http://www.coletasolidaria.gov.br (Site que apresenta algumas ações governamentais sobre o lixo)

http://www1.an.com.br/ (reportagem sobre o que tem no lixo)

http://portaldoprofessor.mec.gov.br/ (animação sobre o tempo que os materiais demoram para se decompor na natureza)

http://portaldoprofessor.mec.gov.br/ (sugestão de aula: meio ambiente e matemática)

http://www.break.com/ (video que mostra a decomposição de frutas)

http://www.radiobras.gov.br/

(matéria sobre plástico biodegradável)

http://canalkids.com.br

(quantidade de lixo produzida pelos brasileiros)

 


Módulo Didático: AÇÃO DE MICRORGANISMOS NA CICLAGEM DE MATERIAIS
Currículo Básico Comum - Ciências - Ensino Fundamental
Autor(a
): Junia Freguglia e Marina Fonseca
Centro de Referência Virtual do Professor - SEE-MG /2009